Home

Quais são os tipos de isquemia que existem?

4 respostas

  • Publicada em 2008-01-08 por Anónimo

    Por definição isquemia é a oferta inadequada de nutrientes (glicose e O2) para uma determinada região do organização, frente a uma demanda. Logo so existe um tipo de isquemia.

    O que pode originar isquemia é que são muitas opções. Trombo, embolo, vaso espasmo, arterite, placa ateromatosa…

  • Publicada em 2008-01-08 por Anónimo

    Fora esse que estou enviando, tem um item muito completo, neste link cá:

    http://www.artigos.com/artigos/saude/saude-e-muito-estar/-tudo-acerca-:—isquemia-2591/cláusula/

    Definição
    Isquemia é definida porquê sendo o fluxo arterial insuficiente para manter as funções normais teciduais, isto é a subtracção de nutrientes (glicose, oxigênio, proteínas,
    vitaminas, enzimas, etc) para os tecidos e o retardo na retirada dos metabólitos. A isquemia pode ser totalidade quando o fluxo arterial for insuficiente para manter a vida
    telemóvel ou tecidual, ou parcial que mantém a viabilidade telemóvel, porém com risco de evoluir para a morte telemóvel, dependendo da nobreza do tecido e do tempo em
    isquemia. Já a hipóxia é somente a subtracção de oferta de oxigênio aos tecidos,
    mas, também é lesiva aos tecidos. (1).
    A isquemia de membro aguda é qualquer decréscimo agudo ou piora da perfusãodo membro causando potencial prenúncio à viabilidade da extremidade.(2)
    A síndrome do dedo azul (blue toe) é um exemplo de isquemia aguda, caracterizada
    dor súbita, cianose dos pododáctilos e antepé devido à embolia (ateroembolismo) de
    natividade arterial e que mantém todos pulsos presentes, com oclusão das artérias digitais.
    Quadro semelhante também pode suceder para os membros superiores.(2,3)
    Isquemia aguda difusa do membro é caracterizada por dor súbita e progressiva,
    entorpecimento, extenuação, paralisia da extremidade, acompanhada de
    palor, às vezes cianose, esfriamento, e privação de pulsos. Isquemia aguda é
    tipicamente causada por embolia para artéria distante da manadeira embolígena, ou
    oclusão de artéria nativa por trombose devida a doença pré-existente ou pósrevascularização.(
    2,3)
    A isquemia crônica de membro é aquela que apresenta dor ao manobra e conforto em
    repouso, devida à doença arterial, exemplo claudicação intermitente. (2)
    Claudicação intermitente consiste em fraqueza, desconforto, câimbra muscular, dor
    só ao manobra (ao caminhar) dos membros inferiores e melhora em repouso,
    conseqüente à doenç

  • Publicada em 2008-01-08 por Anónimo

    Cardiopatia Isquêmica

    a) Isquemia: redução ou derrogação do suprimento sangüíneo para um órgão ou região.

    CI: Doenças cardíacas que resultam de desequilíprimor entre oferta e demanda de oxigênio no miocárdio (Angina pectoris, Infarto agudo do micárdio). Geralmente resulta de uma obstrução parcial ou totalidade das artérias que suprem o coração.

    Circulação coronariana

    Geralmente existem dois pontos de saída para as coronárias (maior proteção do que se fosse uma só. As artérias coronárias esquerda e direita correm nos sulcos atrioventriculares.

    Da a. coronária esquerda partem interventricular anterior (anterior, lateral, ulterior do ventrículo esquerdo; anterior do ventrículo recta; anterior do septo interventricular) e a. circunflexa (parede ulterior do ventrículo esquerdo).

    Da a. coronária direita partem o ramo interventricular ulterior (porção ulterior do septo interventricular) e ramo marginal (parede anterior e lateral do ventrículo recta ).

    Padrão terminal: não existe relação entre os ramos das coronárias. Mais universal nos primeiros anos de vida.

    Padrão não terminal: relação entre territórios recta e esquerdo (circulação paralelo). Forma-se ao longo da vida, dependendo do sujeito e atividade física.

    A distribuição de sangue no miocárdio não é homogênea. A região mais próxima ao endocárdio e portanto mais perto da cavidade ventricular é menos perfundida devido ao grande gradiente de pressão desenvolvido e a compressão dos pequenos vasos.

    Causas:

    Redução da oferta de oxigênio para o miocárdio (aterosclerose, trombose, vasoespasmo, anemia, doenças respiratórias - enfisema pulmonar).
    Aumento súbito da demanda de oxigênio ( esforço físico, estresse, emoções).
    Ambos os fatores.
    Fatores de risco:
    Aterosclerose e todos os fatores predisponentes que levam a ela.
    HAC: hipertensão arterial crônica. A hipertrofia de ventrículo para vencer a resistência periférica elevada leva a um aumento da demanda de oxigênio.
    Obesidade: o maior esforço cardíaco para a completa

  • Publicada em 2008-01-08 por Anónimo

    Vou permanecer te devendo essa, pesquisarei…

Utilize o formulário para responder a esta pergunta